Diretor-executivo da FenSeg dá dicas para economizar no seguro do carro

neical_exame_int

O site da Revista Exame publicou recentemente uma matéria em que consultou especialistas do mercado segurador para apresentar “11 dicas valiosas para economizar o seguro do seu carro”.

Entre os ouvidos, o diretor-executivo da FenSeg, Neival Freitas, que afirmou que uma das razões para o seguro de carros antigos ser mais caro é o elevado custo de reparo, já que, por norma da Susep, as seguradoras são obrigadas a usar peças novas no conserto e repor o valor do veículo integralmente sempre que o custo do reparo superar 75% do valor do carro.

Na hora de escolher um corretor, Neival lembrou que, além do tradicional boca a boca, é importante pesquisar o seu número de registro junto à Susep, que mostra se ele é um profissional habilitado. “O corretor de seguros não é como o corretor de imóveis que, depois de fechar o negócio, sai de cena. Ele acompanha o cliente durante a vigência do seguro e até depois, por exemplo, caso haja sinistro e o cliente entre com um processo contra a seguradora”, afirmou na matéria.

O preenchimento do formulário com informações do segurado na hora da contratação do seguro também deve ser feito com paciência e sinceridade.

De acordo com Neival, se o carro, por exemplo, é compartilhado pela mãe e pelo filho de 18 anos, mas ela usará o carro na maior parte do tempo, informar isso no questionário pode render descontos, mas é importante ser realista. “Se ela não for a principal condutora, mas sim o filho e ele bater o carro, a seguradora pode se negar a indenizar o cliente”, disse ele.

Não informar corretamente o endereço do proprietário do carro também pode trazer aborrecimentos para o segurado. “Se o cliente tem uma casa no campo e coloca o endereço da chácara como sua principal residência, caso a seguradora comprove que ele reside na capital isso pode ensejar uma negativa de indenização”, afirmou o diretor da FenSeg.

Leia aqui a íntegra da matéria da Revista Exame